Descrição

Uma avenida de ciprestes seculares acompanha os hóspedes do Hotel Torre di Bellosguardo ao átrio principal, onde uma imponente estátua da Caridade do famoso escultor Francavilla acolhe os clientes que procuram uma expêriencia única de um hotel em Florença. A ampla sala da recepção é decorada com frescos do século XV de Poccetti e os salões com lareiras esculpidas em pedra. Entre a villa e a torre sucedem-se salas e antessalas inalteradas durante o decorrer dos séculos, evocando poesia e personagens nobres, que oferecem no entanto um acolhimento afável, aprimorado com todos os confortos modernos que se esperam de um dos melhores hotéis de 4 estrelas de Florença.

O hotel é rodeado por um grande parque onde é muito agradável passear entre os canteiros em flor e os recantos secretos, fazer uma pausa à beira da piscina e apreciar a maravilhosa vista de Florença do cimo da colina.

Tal como outrora, existe hoje ainda na propriedade do Hotel Torre di Bellosguardo uma pequena quinta com uma horta totalmente biológica que oferece fruta e vegetais fesquíssimos para o pequeno almoço ou lanche. Simpáticos animais (três burros, um pónei, patos, galinhas, coelhos, cabras, etc…) são a alegria dos mais pequenos que exploram a propriedade.

O hotel tem ar condicionado, e a recepção oferece um serviço de fax, wifi, computador com internet, informações turísticas, serviços de transfer e visitas guiadas organizadas a pedido do cliente.

Temos uma sala de reuniões que pode acolher até 30 pessoas, uma garagem à disposição dos nossos clientes e os seus animais de estimação são bem-vindos!

Gallery - Torre di Bellosguardo
História de Torre di Bellosguardo

No Século XIII Guido Cavalcanti, querido amigo de Dante, imortalizado nos famosos versos “Guido, i’ vorrei che tu e Lapo ed io fossimo presi per incantamento...” (Guido, gostaria que tu, Lapo e eu fôssemos levados como por magia...), e grande poeta também ele, construíu a Torre di Bellosguardo, como solar de caça e refúgio de familia. Mais tarde, no século XVI, os marqueses Roti Michelozzi desejaram possuir uma residência maior e mais nobre contratando para decorá-la o pintor Bernardino Poccetti, autor dos frescos do átrio de entrada e o escultor Pietro Francavilla que esculpiu a esplêndida estátua da Caridade, ainda hoje à entrada a dar as boas vindas aos clientes do hotel.

Entre os anos 20 e anos 40 do século XIX a baronesa Marion von Hornstein-Franchetti tornou a Torre de Bellosguardo num retiro para nobres e escritores de toda a Europa.

Hoje, Torre de Bellosguardo continua a ser testemunha de uma história ilustre e secular que partilha todos os dias com os seus hóspedes, tendo-se tornado num hotel raro em virtude da sua atmosfera e hospitalidade.